Atendimento: (19) 3807-2986
Frete Grátis para todo Brasil

Os melhores Suplementos Alimentares e condições de pagamento especiais você encontra aqui na G7 Nutrição Esportiva!

IRON VIT 60 COMP IRONWORK SCIENCE NUTRITION

Seja o primeiro a avaliar este produto

De: R$43,45 (desconto de 15%)

Por: R$36,21

em até 2x de R$18,11 sem jurosem 2x de R$18,11
ver parcelas
R$30,78 ou à  vista com 15% OFF
ou R$30,78 no boleto/depósito

Calcule o prazo de entrega estimado para sua região.

Informe seu CEP:
-17%

Talvez você se interesse por estes produtos

Combo Collagen Caps (120 Caps) + Iron Vit 100% (60 Tabs)

Combo Collagen Caps (120 Caps) + Iron Vit 100% (60 Tabs)

De: R$67,71

Por: R$42,43

em até 2x de R$21,22 sem jurosem 2x de R$21,22
ver parcelas
R$36,07 ou à  vista com 15% OFF
ou R$36,07 no boleto/depósito (15% desconto)
     

Perguntas em Produtos

Não há nenhuma resposta ainda. Seja o primeiro a fazer uma pergunta!

IRON VIT 100% VITAMINAS E MINERAIS 60 TABS tem ação sinergética entre os micronutrientes de sua fórmula para melhor absorção pelo atleta. Desenvolvido pela Nutricionista IRONWORK SCIENCE NUTRITION o IRON VIT 100% VITAMINAS E MINERAIS 60 TABS trará 100% de suas necessidades de vitaminas e minerais durante 2 meses. Atingir as recomendações diárias de vitaminas e minerais é essencial para um bom funcionamento do organismo e desempenho atlético. Esses micronutrientes parecem ter relação com a redução de danos oxidativos causados pela carga de treino e com a melhora do sistema imunológico, evitando assim prejuízos a saúde. Chegou sua hora de diferenciar-se, use IRON VIT 100% VITAMINAS E MINERAIS 60 TABS, use IRONWORK SCIENCE NUTRITION.

Sugestão de Uso

Sugere-se a ingestão diária de 1 (um) comprimido ou de acordo com orientação de nutricionista ou médico.  

Informações Importantes

Atingir as recomendações diárias de vitaminas e minerais é essencial para um bom funcionamento do organismo e desempenho atlético, pois reduz os danos oxidativos causados pela carga de treino e melhora o sistema imunológico, evitando prejuízos a saúde. Além disso, os micronutrientes desempenham importante papel na produção de energia, na síntese de hemoglobina, na saúde óssea e ajudam na síntese e na reparação do tecido muscular durante a recuperação do exercício físico, evitando assim as lesões.
 
 O exercício físico pode aumentar as necessidades de algumas vitaminas e minerais, pois o organismo sofre adaptações bioquímicas decorrentes do exercício físico, que muitas vezes representa uma carga muito grande para o indivíduo. Assim, o consumo de doses maiores desses micronutrientes pode ser necessário para construção, reparação e manutenção da massa magra de indivíduos treinados. Quando se fala em restrição alimentar, no caso de períodos em que se deseja emagrecer, os cuidados com o consumo de vitaminas e minerais tem que ser dobrados, pois a chance de se consumir valores abaixo do recomendado desses minerais é mais fácil.
Vitaminas do complexo B
 O grupo dessas vitaminas pode ser dividido em dois grupos com funções diferentes relacionadas ao exercício físico: 
- produção de energia durante a realização do exercício físico: tiamina, riboflavina, niacina, piridoxina, ácido pantotênico e biotina;
- produção de células vermelhas sanguíneas, síntese de proteínas, reparação e manutenção dos tecidos: folato e vitamina B12.
 Alguns estudos sugerem que o exercício físico pode aumentar em até duas vezes a quantidade recomendada das vitaminas do complexo B, sendo que sua deficiência pode acarretar queda na performance  atlética e anemia para deficiência de folato e vitamina B12.

Vitamina D
É uma vitamina que necessita das gorduras para ser absorvida, ou seja é uma vitamina lipossolúvel. Sua produção depende da luz solar, pois a pró vitamina D3 absorve a luz ultravioleta causando fotoisomerização, o que leva a formação da pré vitamina D. Esta, absorve a radiação UV (ultravioleta)  e origina a vitamina D. 
 A função da vitamina D esta ligada a saúde óssea, ela ajuda a absorção do cálcio e regula os níveis séricos de cálcio e fósforo, assim como o desenvolvimento e a homeostasia do sistema nervoso e músculo esquelético. 
 A industrialização fez com que a exposição solar se tornasse insuficiente, causando redução nos teores de vitamina D e no aparecimento de doenças relacionadas com sua deficiência, raquitismo em crianças e osteomalacia em adultos. Além desse fato ser prejudicial a pessoas que não praticam esportes, os atletas que treinam em ambientes fechados, ficando muitas horas do dia privados da luz solar, estão mais susceptíveis a deficiência desta vitamina.

Vitaminas e minerais antioxidantes: vitamina C, E, ᵦ-caroteno e selênio.
 Os compostos denominados antioxidantes, como as vitaminas C, E, ᵦ-caroteno e selênio, são essenciais na proteção celular contra os danos oxidativos. O exercício físico pode aumentar o consumo de oxigênio certa de 10 a 15 vezes, produzindo constantemente extresse oxidativo sobre músculos e as células devido a peroxidação lipídica. O problema maior é quando essa produção ocorre em excesso e o indivíduo não tem uma alimentação balanceada, com ingestão insuficiente de vitaminas e minerais antioxidantes para combater o estresse oxidativo, levando a degradação das membranas celulares e prejudicando o organismo e sua recuperação pós exercício.
 Já é sabido que o exercício físico causa melhora no sistema antioxidante do organismo, favorecendo o combate aos radicais livres, dessa forma um atleta bem treinado pode ter um sistema antioxidante endógeno mais desenvolvido do que sedentários. Porém, sua necessidades de compostos antioxidantes parecem estar elevadas, podendo se insuficiente, prejudicar a performance.
 Atletas que seguem dietas restritivas, com baixo teor de gorduras, diminuição no consumo de frutas, verduras e grãos integrais, são considerados uma população de risco para ingestão de antioxidantes.
 A vitamina E, uma vitamina lipossolúvel, devido seu papel antioxidante está relacionada a prevenção de doenças degenerativas como câncer, doença de Alzheimer, artrite e catarata, além de reduzir a peroxidação lipídica durante o exercício aeróbio. 
 O ácido ascórbico, vitamina C, é uma vitamina hidrossolúvel, e sua deficiência causa o escorbuto. Suas funções são diversas, participando dos processos antioxidantes; reciclagem da vitamina E; produção e manutenção do colágeno; formação da folacina e ácido tetra-hidrofólico; atuando como proteção para doenças coronarianas e no desenvolvimento de tumores em seres humanos. O exercício físico de longa duração aumenta a necessidade dessa vitamina, sendo que sua deficiência pode comprometer o desempenho físico.
 O ᵦ- caroteno, pró vitamina A, é uma vitamina lipossolúvel, desempenha funções na visão normal, expressão de genes, diferenciação e proliferação celular, e função imune.
 O selênio é um mineral que protege as células contra os danos oxidativos, participa da síntese de imunoglobulinas e promove a ativação da enzima glutationa peroxidase, que catalisa a lise de hidroperóxidos.

Minerais 
 - Cálcio: importante para o crescimento, manutenção e reparação do tecido ósseo, além de participar da contração muscular, condução nervosa e coagulação sanguínea. Sua deficiência pode causar uma densidade mineral óssea baixa e assim maior risco a fraturas. O exercício físico pode aumentar as necessidades de cálcio, sendo que é mais preocupante para o gênero feminino, pois são consideras grupo de risco para deficiência desse mineral.
 - Ferro: necessário para formação da hemoglobina e mioglobina, e na atuação das enzimas envolvidas na produção de energia. Desempenha importante papel na oxigenação tecidual, sendo importante durante exercício de longa duração. A deficiência de ferro está mais relacionada ao grupo feminino, podendo causar anemia ferropriva, prejudicando a função muscular. A necessidade deste mineral em atletas pode aumentar cerca de 70%.  Para reverter a anemia ferropriva, leva-se cerca de 3 a 6 meses, sendo assim o monitoramento e a ingestão adequada deste mineral é imprescindível para evitar a doença.
 Em atletas que possuem a deficiência de ferro, sua suplementação além de melhorar os estoques, aumenta o consumo de oxigênio, reduzindo o esforço do coração e a concentração de lactato durante o exercício, protelando assim a fadiga.
 - Zinco: este mineral está relacionado com a construção, crescimento e reparação do tecido muscular, produção de energia e sistema imunológico. Sua deficiência afeta os hormônios da tireoide e a taxa metabólica basal; diminui as funções cardiorrespiratórias e musculares, podendo prejudicar a força e a resistência durante a prática de exercícios físicos. O grupo de risco para sua deficiência é o gênero feminino.
 - Magnésio: está relacionado com o metabolismo de gordura, carboidrato e proteína; estabilidade da membrana celular e possui funções nos sistemas cardiovasculares, hormonal e imunitário. Foi demonstrado que os atletas de luta livre, balé e tênis possuem ingestão inadequada deste mineral. 

Referências 
Journal of the International Society of Sports Nutrition 2010.
American College of Sports Medicine. Nutririon and Athletic Performance. 2009.
Vitaminas. Aspectos nutricionais, bioquímicos, clínicos e analíticos. Marilene De Vuono Camargo Penteado. Editora Manole. 1° edição. 2003.



Queremos saber sua opinião sobre esse produto

Apenas usuários registrados podem comentar. Por favor, identifique-se ou cadastre-se